ECONOMIA A - 11º Ano


O Programa de Economia de 11º ano pretende dar continuidade ao Programa do ano anterior, mantendo a opção por um ensino da Economia no
Ensino Secundário, orientado mais no sentido de levar os alunos ao desenvolvimento das suas capacidades e à aquisição de competências que
lhes permitam o entendimento da realidade económica do que no de uma mera aprendizagem de conceitos abstractos.
Mantêm-se também os objectivos de levar os alunos à aquisição básica de um adequado aparelho conceptual, motivando-os para o estudo da
realidade social, especificamente da sua dimensão económica.
O Programa de 11º ano situa-se a um nível mais agregado de conceptualização e de análise. De facto, este Programa centra a sua atenção no circuito económico e nos agregados das contas nacionais (Tema III – A Contabilização da Actividade Económica) e na Organização Económica das Sociedades (Tema IV), com destaque para a “abertura” ao resto do mundo e para o papel do Estado em termos de políticas económicas e sociais.
A finalizar o Programa de 11º ano, pretende-se que sejam mobilizados os conhecimentos teóricos adquiridos ao longo dos dois anos de estudo desta disciplina, bem como os resultantes da sua aplicação às realidades portuguesa e europeia, que foi sendo feita em cada unidade lectiva, para, num esforço de síntese, de relacionação e de globalização de conhecimentos, os alunos reflectirem criticamente sobre a realidade portuguesa actual no contexto da União Europeia. É esse o objectivo didáctico fundamental do ponto 12.4. da última unidade lectiva do programa deste ano.

O estudo da Economia é hoje, no século XXI, indispensável à formação geral do cidadão português e da União Europeia, qualquer que seja o percurso académico que este venha a seguir!
A disciplina de Economia é uma disciplina privilegiada no contributo que pode dar para a formação adequada do aluno finalista do ensino secundário, nomeadamente no domínio do conhecimento e da compreensão do mundo contemporâneo e dos seus principais problemas.



Nobel da Economia, um prémio Controverso?

Concedido anualmente com pompa e circunstância, o prémio Nobel da Economia não é, contudo, um Nobel genuíno. Ao contrário das outras cinco categorias, a láurea económica não constava do testamento deixado pelo inventor sueco da dinamite, tendo sido forjada pelo banco central da Suécia em 1968 — aliás, o seu nome oficial é Prémio de Ciências Económicas do Sveriges Riksbank em Memória de Alfred Nobel.Ler mais aqui.